Bloquear sites: Saiba quando e como aplicar controles de acesso em sua empresa

Post disponível em / disponible en / available in: Português Español English

Tempo de leitura: 4 minutos

Controlar o acesso à internet, durante o horário de trabalho, é uma realidade cada vez mais comum nas empresas, e de certa forma, cada vez mais necessária. Este assunto é amplamente discutido por pesquisadores e empresas, tendo em vista o impacto causado sobre os negócios.

Vale ressaltar, que o controle do uso da internet, é direcionado, obviamente, a conteúdos (sites/aplicações), que podem gerar distrações e não estão associados a atividade principal do colaborador.

Para entender um pouco mais sobre o perfil de uso da internet nas empresas brasileiras, OSTEC e NEOTRIAD, desenvolveram pesquisa com aproximadamente 350 profissionais, buscando identificar características associadas ao uso da internet. A pesquisa foi segmentada em dois perfis distintos, de acordo com a posição que a pessoa ocupava na empresa, gestores e demais colaboradores.

Uma das perguntas feitas pela pesquisa indagava como seria um dia sem internet na empresa. Frente a esta indagação, 48,6% dos gestores relatou que seria péssimo, sendo que o percentual de resposta para o segundo perfil, formado pelos demais tipos de colaboradores da empresa, foi ainda maior 59,2%.

Ainda sobre a pesquisa, outros dados interessantes vieram à tona, como por exemplo o fato de que 44,6% dos funcionários informaram que o acesso à internet na empresa é limitado e controlado, contudo, a pesquisa também relata que 63,3% deles utilizam meios alternativos para acesso à internet durante o horário de trabalho (acesso móvel 3G e 4G). Dentre os sites mais acessados estão redes sociais 46,4%, You Tube 30%, canais de notícias 63,7 e comunicadores instantâneos 50,3%.

Infográfico - Pesquisa sobre o perfil de uso da internet nas empresas

Infográfico – Pesquisa sobre o perfil de uso da internet nas empresas

A popularização das redes sociais, serviços de mensageria como Whatsapp e Skype, e a internet como um todo, são fontes inesgotáveis de distração. Além disso, o uso de smartphones pessoais, durante a execução de atividades profissionais, colabora para a dispersão durante a realização das tarefas em horário produtivo.

Após contextualização inicial, fica mais fácil assimilar tudo que está por trás da decisão de bloquear sites em ambientes corporativos. Este blog post trará algumas reflexões sobre o tema e alternativas para as diferentes realidade encontradas nas empresas.

Reflexão inicial sobre o tema Bloquear sites

Antes de mais nada, é importante desmistificar um ponto, pouco considerado pelas empresas. Quando o assunto bloquear sites é colocado em discussão, é comum que boa parte das pessoas associe o tema a restrição de acesso à Redes sociais, YouTube e comunicadores instantâneos. De fato, estes são sites que podem interferir na produtividade dos colaboradores, trazendo prejuízos para as empresas, contudo, antes de proceder com a aplicação de regras de controle, avalie as especificidades do negócio e perfil da equipe, para evitar inconvenientes desnecessários.

No momento do alinhamento das diretrizes de acesso e políticas, não esqueça empreender esforços para evitar acesso a conteúdos altamente nocivos ao ambiente corporativo, tais como pornografia, xenofobia, homofobia, que devem, impreterivelmente, ter o acesso restringido, independentemente de qualquer outra variável associada ao negócio.

Por isso, é de suma importância que as regras de acesso à internet corporativa contemplem, também, estes conteúdos e não somente aqueles que podem impactar na produtividade dos colaboradores, apesar destes conteúdos também refletirem em prejuízos neste sentido.

Estabelecimento de política de uso da internet

A política de uso da internet é um documento que consolida todas as orientações relacionadas ao uso do recurso na empresa. Este documento deve envolver gestores e funcionários, para que os interesses de ambos sejam, dentro do possível, respeitados.

Na fase de construção da política, a empresa deve levar em consideração as características do negócio, estabelecendo perfis de acesso, de acordo com a realidade de setores ou níveis hierárquicos, tal como definição dos times envolvidos.

Caso você tenha interesse em aprofundar no tema, siga com a leitura do blog post Política de uso da internet, conheça os tópicos essenciais.

A política de uso da internet, é o documento que trará as diretrizes para a configuração das regras de acesso, na solução de segurança, definida pela empresa, garantindo também que tudo aquilo que não for possível controlar com a aplicação de tecnologia, seja formalizado perante os colaboradores.

O papel da solução de segurança no controle dos acessos à internet

Como citado anteriormente, após definir a política de uso da internet é necessário que a empresa escolha uma solução que possibilite colocar em prática as diretrizes que foram documentadas anteriormente.

Priorize produtos que lhe tragam facilidade para estabelecimento, de maneira eficiente, das regras de acesso. No mercado existem várias soluções de proxy web, com características distintas, ou ainda opções de soluções unificadas, tal como Firewall UTM, que podem também proporcionar outras alternativas de segurança para a empresa, além do controle dos acessos a sites.

Para aprofundamento no assunto em questão sugerimos a leitura do blog post Como construir uma política altamente eficiente e Gestão de conteúdo, criando visibilidade para gestores.

Continue sua leitura

Willian Pandini
willian.pandini@ostec.com.br
No Comments

Post A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.