Cabos conectados

Como ter uma internet 100% disponível usando Redundância de Links na sua empresa

Post disponível em / disponible en / available in: Português Español

Tempo de leitura: 5 minutos

Imagine dirigir um carro que não possui estepe. É possível percorrer quilômetros e quilômetros sem precisar dele, contudo, caso um dos pneus fure, o condutor terá um problema mais difícil de ser contornado.

Mediante esta circunstância a viagem será interrompida, a segurança dos ocupantes do veículo fica comprometida, o trajeto vai durar muito mais tempo e, entre outros, fica-se à mercê da disponibilidade de um prestador de serviço que pode estar muito distante você.

Essa situação ajuda a entender o tamanho da dependência da internet que milhares de empresas possuem. Caiu a conexão? Provavelmente 90% das demandas ficam paralisadas, algo que acarreta em problemas com prazos, metas e perda da produtividade.

Cada segundo de downtime – tempo de inatividade – gera perdas enormes. E não é de agora: há 6 anos, houve uma parada nos sistemas da Amazon que durou meia hora, mas foi o suficiente para a gigante do varejo eletrônico perder mais de US$ 60 mil por minuto.

Com as pequenas e médias empresas, os impactos também podem ser imensos. Pausas repentinas acarretam em perda de produtividade, com funcionários parados por horas e clientes/fornecedores insatisfeitos.

Nesses momentos, transferir a responsabilidade para o fornecedor de internet não é uma opção viável. Afinal, isso pode dar a impressão de falta de profissionalismo e de zelo com a própria estrutura. Ou seja, negócios de pequeno porte têm mais a perder com quedas de internet, já que muitas vezes possuem recursos reduzidos para recuperar a conexão de maneira rápida e constante.

Dependendo do ramo de atividade, o cliente pode rapidamente deixar o estabelecimento e buscar outra opção na concorrência.

Em busca da internet livre de quedas

Felizmente, há uma solução capaz de evitar esses problemas todos: é a redundância de links. Trata-se da instalação de um segundo link de internet, porém com um sistema inteligente que gerencia e otimiza os dois recursos.

A existência da conexão alternativa garante que, caso a conexão principal fique inoperante, haverá a continuidade da prestação dos serviços, sem que os usuários sequer percebam.

Fazendo um comparativo com a metáfora do estepe do carro, seria como ter um pneu furado e trocá-lo de modo que o carro não pare nem por 1 segundo – e que os passageiros nem notem o ocorrido.

Nesse contexto, entram em cena dois recursos. Um deles é o failover, que verifica a integridade do link principal e, se a qualidade estiver baixa, transfere toda a comunicação para o segundo link. Dessa maneira, nenhuma tarefa ou funcionário é afetado pela instabilidade da conexão principal.

Há ainda o Load Balance, o método que usa os dois links de internet, garantindo melhor desempenho para as conexões dos usuários. Dessa maneira, além de evitar que algum link fique inativo, os colaboradores terão a sensação que a internet ficou mais veloz, pois existirá menos disputa pela mesma banda.

O que é preciso avaliar

Como qualquer recurso estratégico, a adoção de links redundantes exige análises. Inicialmente, é preciso realizar um mapeamento detalhado das demandas mais relevantes, determinando quais são as aplicações mais importantes da empresa. Isso deve incluir as necessidades específicas de cada setor e os possíveis ajustes que podem ser feitos através da reorganização da infraestrutura de TI.

Deve-se, ainda, comparar fornecedores e operadoras, checando a estrutura dos serviços de suporte, o gerenciamento de redes e os SLAs – sigla em inglês para Service Level Agreement, que em português significa “Acordo de Nível de Serviço” e consiste num contrato entre a instituição que pretende fornecer o serviço e o cliente que deseja se beneficiar. Além disso, garanta que os links contratados estejam em troncos de internet diferentes, possibilitando que haja efetiva redundância de links.

Outro quesito a ser levado em consideração é a existência de recursos de monitoramento do tráfego – algo fundamental para acompanhar as variações de carga entre os links.

Há ainda a questão da segurança digital, pois a redundância de links não pode trazer consigo vulnerabilidades que coloquem em risco a proteção e o resultado do negócio. Entre em contato conosco e saiba como evitar esse problema. Afinal, auxiliamos empresas a identificarem lacunas que podem colocar seus resultados em risco e sugerimos soluções customizadas de segurança digital para suprir essas necessidades.

Benefícios que vão além do óbvio

 A redundância de links não diz respeito apenas ao conforto de contar com uma internet altamente disponível. O grande foco é entender que se trata de uma ferramenta estratégica.

Existem estimativas calculando que o custo de conquistar um novo cliente é cinco vezes maior do que manter os já existentes. Eventuais períodos sem internet geram insatisfação que podem levar à perda de contratos, comprometendo até mesmo a imagem da empresa. Surge também a pergunta: com uma internet que vive caindo, quantos negócios são perdidos por deixar escapar a oportunidade?

Aumentar a eficiência dos recursos de TI pode ajudar na estabilidade da empresa. O motivo é que um mercado com crescimento lento pede o uso de estratégias de reestruturação, como automação de processos e o uso de ferramentas inteligentes. Seja qual for o caso, é preciso que a empresa tenha acessos minimamente confiáveis à internet.

Gostou de saber mais sobre links redundantes? Tem algum tema que você gostaria de ver por aqui? Deixe sua sugestão nos comentários e siga-nos em nossas redes sociais para ficar por dentro de todo nosso conteúdo: Linkedin, Instagram, Facebook.

Continue aprimorando seu conhecimento

ostec
ostec@ostec.com.br
No Comments

Post A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.