mãos segurando tablet com página de e-mail aberta e um smartphone ao fundo sobre a mesa também com a página de e-mail aberta em sua tela.

18 milhões de e-mails fraudulentos são bloqueados todos os dias pelo Google

Post disponível em / disponible en / available in: Português

Tempo de leitura: 3 minutos

De acordo com o Google, todos os dias, os golpistas enviam 18 milhões de e-mails falsos sobre a COVID-19 para os usuários do Gmail.

A gigante da tecnologia afirmou que a pandemia levou a uma explosão de ataques phishing, onde cibercriminosos tentam induzir os usuários a revelar dados confidenciais.

Segundo a empresa, mais de 100 milhões de e-mails de phising estavam sendo bloqueados por dia.

Na semana passada, quase um quinto dos e-mails fraudulentos eram relacionados ao coronavírus.

O Gmail é usado por 1,5 bilhão de pessoas e, segundo empresas de tecnologia, a atual pandemia pode ser o maior tópico de phishing de todos os tempos.

Pagina de e-mail com fundo roxo

Fonte: BBC, 2020.

Acima um dos e-mails fraudulentos personifica a OMS.

Os indivíduos recebem uma enorme variedade de e-mails que personificam autoridades, como a Organização Mundial da Saúde (OMS), em um esforço para convencer as vítimas a baixarem software ou doarem a causas falsas.

Os cibercriminosos também estão tentando capitalizar os pacotes de apoio do governo, imitando instituições públicas.

O Google alega que suas ferramentas de aprendizado de máquina são capazes de impedir que mais de 99,9% dos e-mails cheguem aos usuários.

O crescimento do phishing com tema de coronavírus está sendo registrado por várias empresas de cibersegurança.

A Barracuda Networks afirmou ter visto um aumento de 667% nos e-mails maliciosos de phishing durante a pandemia.

Os golpistas têm enviado e-mails falsos e mensagens de texto alegando serem do governo do Reino Unido, da OMS, do Centro de Controle e Prevenção de Doenças e até de autoridades americanas, incluindo o presidente Trump.

“Os ataques de phishing sempre compartilham o traço comum de incitar ou depender de uma emoção que nos faz agir mais apressadamente ou pensar menos sobre nossas ações naquele momento”, disse o pesquisador independente Scott Helme.

“A pandemia de coronavírus é um tópico altamente emocional no momento e os criminosos cibernéticos sabem disso claramente. Eles esperam que a pessoa típica possa estar mais inclinada a clicar nos links ou seguir as instruções que visam prejudicar os usuários”.

Exploração

Os pesquisadores também descobriram sites maliciosos e aplicativos de smartphone baseados em recursos genuínos de coronavírus.

Um aplicativo Android malicioso alega ajudar a rastrear a propagação do vírus, mas infecta o telefone com ransomware e exige pagamento para restaurar o dispositivo.

Na última semana, o Centro Nacional de Segurança Cibernética e o Departamento de Segurança Interna dos EUA emitiram um comunicado conjunto.

Eles disseram ter visto “um número crescente de ciberatores maliciosos” que estavam “explorando a atual pandemia de COVID-19 para seus próprios objetivos”.

Leia mais sobre como os ataques phishing cresceram durante a pandemia e como eles têm sido direcionados a trabalhadores remoto.

Você também pode conferir algumas dicas para identificar se uma informação é falsa ou verídica antes de clicar em um link ou fazer download de algum anexo.

Acompanhe as OSTEC nas redes sociais para ficar por dentro de todo nosso conteúdo: Instagram, Facebook, Linkedin, Twitter.

Via: BBC.

Thais Souza
thais.souza@ostec.com.br
No Comments

Post A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.