Minimize investimentos em link com o recurso de QoS

Post disponível em / disponible en / available in: Português

Tempo de leitura: 5 minutos

Para a grande maioria das empresas um dia sem acesso a internet é um dia de trabalho completamente comprometido. Este recurso é essencial para conexão a serviços e arquivos em nuvem, troca de mensagens e e-mails, compras, vendas, pagamentos, videoconferências, dentre várias outras atividades que fazem parte da rotina de uma organização.

Por este motivo, a manutenção de uma experiência adequada com o uso da internet é tão perseguida por analistas de tecnologia. Neste sentido, não é raro verificarmos situações onde, mediante este tipo de problema, profissionais tomem atitudes paliativas, tais como aquisição de links dedicados de internet, ampliação do número de circuitos contratos ou aumento da largura de banda dos mesmos.

Contudo, é importante deixar claro que este tipo de atitude, sem a identificação da causa raiz do problema, pode minimizar a situação por algum tempo, mas certamente não é sustentável, podendo se tornar um caminho caro e sem os resultados desejados.

O objetivo deste blog post é aprofundar um pouco mais nos conceitos associados ao QoS, tendo este recurso como opção para melhorar a experiência dos usuários com o uso da internet em ambientes corporativos. Continue a leitura deste conteúdo e promova alterações significativas em sua estrutura com pouco investimento.

Funcionamento do QoS?

O QoS funciona como um moderador de tráfego, que organiza o fluxo de dados e atribui prioridade aos acessos que são mais importante. Quando não há nenhum serviço de Quality of Service (QoS) todas as origens de tráfego competem entre si, causando experiências não tão boas para os usuários.

Em uma organização, por exemplo, o tráfego gerado pelo colaborador que deseja acessar o ERP da empresa hospedado em nuvem, essencial para o desempenho de suas funções, compete com o tráfego proveniente de outro colaborador que está assistindo vídeos em streaming. Assim, operações importantes e essenciais podem ser prejudicadas por conta da não priorização dos tráfegos gerados pelos colaboradores. É neste momento que, por uma falha de analise, são promovidos investimentos desnecessários em infraestrutura e recurso de internet.

Em um outro artigo de nosso blog explicamos, de uma forma mais técnica, o funcionamento do QoS, tal como destacado abaixo:

Ao utilizá-lo, os profissionais podem alterar a forma como os pacotes de rede são encaminhados para a internet, permitindo que os recursos existentes sejam utilizados de forma mais eficiente. Com o QoS, estes pacotes são marcados para distinguir os tipos de serviços e os roteadores são configurados para criar filas virtuais distintas para cada aplicação, de acordo com sua prioridade.

Desta forma, uma faixa da banda poderá ser reservada para que determinados tipos de sites ou aplicações tenham acesso prioritário. Existem também outros protocolos e algoritmos que podem ser utilizados para aprimorar o gerenciamento do recurso de internet, potencializando a experiência obtida com a aplicação do QoS.

Este outro artigo de nosso blog também explica um pouco mais sobre as técnicas de Qualidade de Serviço que podem ser aplicadas. O mais comum é que este tipo de solução seja implementada nos equipamentos de borda, que fazem o interfaceamento da rede local com a Internet, principalmente em firewalls UTM.

Em resumo, a adoção de um serviço de QoS permite maior controle sobre a rede, facilitando a criação e aplicação de regras especificas para atender as necessidades de cada negócio.

QoS: aliando eficiência e economia

Por ser uma solução baseada em software que normalmente faz parte de um firewall UTM, o serviço de QoS se torna acessível e de fácil aplicação por profissionais de tecnologia que possuam nível intermediário de conhecimento.

Enquanto a adoção de novos links, ou ampliação, requer um investimento maior, o QoS pode ser implementado com um custo menor. Dessa forma a organização pode minimizar os investimentos em links, optando pela alteração dos mesmos apenas quando realmente for imprescindível.

Além do custo de implantação ser baixo, um serviço de QoS gera também outros benefícios que garantem mais eficiência e economia:

  • Melhoria na experiência do usuário;
  • Tempo de resposta mais ágil, de acordo com a prioridade do acesso;
  • Facilidade no gerenciamento dos recursos de internet pelos analistas e administradores;
  • Garantia de que aplicações essenciais tenham sempre os recursos necessários para seu funcionamento;
  • Diminui o impacto causado pelo tráfego gerado por aplicações não relacionadas ao trabalho;
  • Garante maior produtividade dos colaboradores.

Portanto, antes de decidir sobre a aquisição de links, avalie a possibilidade da adoção de recursos de QoS que possam melhorar o gerenciamento dos dados que trafegam em sua rede. Uma solução simples e prática como essa pode garantir mais eficiência e sucesso para o seu negócio.

Tags:
ostec
ostec@ostec.com.br