Por que investir na identificação e prevenção de ataques virtuais

Por que empresas devem investir na identificação e prevenção de ataques virtuais

Post disponível em / disponible en / available in: Português

Tempo de leitura: 5 minutos

Segurança da Informação é um tema em evidência nas organizações. Embora ainda não tenha o espaço de discussão que necessita, o ecossistema corporativo precisa estar cada vez mais inserido em estruturas sólidas e protegidas de segurança. Por isso, investimentos na área são extremamente necessários e justificáveis, principalmente em vista das consequências de ataques direcionados e oportunistas.

Uma das principais formas de evitar esses incidentes é através de boas soluções de segurança, como firewalls. Estes, em sua grande maioria, apresentam módulos de identificação e prevenção à ataques virtuais, chamados IDS e IPS, respectivamente.

Por essas razões, iremos explorar neste blog post os principais motivos para empresas – de todos os tamanhos e áreas de atuação – investirem nesses dois módulos. Caso seja do seu interesse, é só continuar com a leitura.

Minimizar os incidentes de segurança

Existem inúmeras formas possíveis de cibercriminosos realizarem ataques virtuais. Alguns deles são direcionados, ou seja, selecionam precisamente sua vítima, e outros são oportunistas, explorando vulnerabilidades não tratadas pelos usuários, para iniciar um ataque.

Em ambos os formatos, os módulos de identificação e prevenção são extremamente importantes para proteção ao dado e estrutura corapotiva. Funcionam como uma camada extra e extremamente eficaz de segurança, o que explica a presença dos dois recursos nas soluções de Firewall – tanto em soluções UTM como NGFW.  Com o funcionamento preciso do IDS e IPS, a incidência/impacto de ataques virtuais torna-se menor.

Afinal de contas, a melhor forma de conter ameaças é a prevenção. Dessa forma, um sistema de detecção e prevenção de intrusão são duas grandes necessidades quando se trata de Segurança da Informação.

Evitar perdas financeiras e indisponibilidade de serviços

O prejuízo financeiro está entre as inúmeras consequências de incidentes virtuais. Uma empresa pode sofrer com grandes perdas, e isso varia de acordo com o tipo e porte de ataque, além da posição tomada pela corporação na hora de lidar com ele.

Ransomwares, por exemplo, trabalham com recompensas. Esta variação de malware faz o sequestro de dados e, em troca, exige um pagamento para a liberação dos arquivos roubados. Ainda que não seja aconselhável realizar o pagamento, em vista da incerteza dos criminosos de cumprirem com sua parte do “acordo”, esse tipo de ameaça pode extorquir o dinheiro de empresas, além de onerar toda a equipe de tecnologia em busca da solução do problema.

Outra consequência, dessa vez relacionada a indisponibilidade de serviços, são ataques direcionados DDoS (Distributed Denial of Service). Esses incidentes funcionam com o envio elevado e simultâneo de solicitações à um servidor, ao ponto de o serviço ser interrompido. Em outras palavras, são tantas requisições (criadas artificialmente por cibercriminosos) que geram indisponibilidade da estrutura foco do ataque.

Tenha visibilidade e variedade de controles

Os módulos de identificação (IDS) e prevenção (IPS) de ataques virtuais são necessários por razões variadas, como você viu até aqui. Uma das principais, no entanto, e que merece certo destaque, é a variedade de controles que os dois recursos oferecem à empresa e seus analistas de tecnologia.

Essa filtragem e bloqueio de ameaças ocorre, em grande parte, por meio de configurações na sua interface que categorizam eventos específicos – situações fora do normal, que não deveriam estar ocorrendo em uma estrutura de rede.

Através desse controle por eventos, a principal característica dos módulos de identificação e prevenção de ataques virtuais, é fácil manter uma estrutura de rede extremamente protegida e preparada para potenciais eventualidades.

Alguns dessas configurações por evento são:

  • Permitir alertas e notificações em caso de tráfego alto – acima daquilo que foi definido como padrão;
  • Detecção de logins suspeitos (tentativa frustrada de obter privilégio de usuários);
  • Nome de arquivos suspeitos infiltrando-se na rede;
  • Conteúdo inapropriado;
  • Detecção de conteúdo ou atividade trojan;
  • Ataques em aplicações web etc.

Eficiência profissional através de notificações em tempo real

Além de identificarem e prevenirem ameaças virtuais, assim como controlarem a segurança corporativa através de configurações por evento, os módulos IDS e IPS podem garantir que profissionais de TI tenham mais eficiência em suas rotinas de trabalho.

Isso porque os dois módulos possuem opções de alertas e bloqueios. Assim, analistas de tecnologia não precisam permanecer em constante atenção, aplicando melhor seu tempo, sem colocar em risco a segurança corporativa.

Os recursos de IDS e IPS possuem características específicas, capazes de enviarem notificações a qualquer movimentação fora do comum. Contudo, essa eficiência só pode ser garantida mediante uma boa configuração, que assegurará mais tranquilidade aos analistas quanto a segurança e assertividade de suas atividades.

Um dos grandes desafios associados a configuração dos módulos de identificação e prevenção de intrusão está associado a parametrização dos eventos que realmente possuem relação com uma tentativa de intrusão, evitando geração dos “falsos positivos”.

Avaliar criteriosamente cada realidade de negócio é fundamental para que se tenha um resultado positivo na implementação de soluções com foco em identificação e prevenção de intrusão. Neste momento, pode ser necessário assessoria de profissional especializado, para reduzir o tempo de implementação do recurso.

Para saber mais sobre segurança de perímetro, o firewall correto para adquirir e as diversas variações e características deles, recomendamos o material “10 dicas essenciais para a aquisição de Firewalls”.

Continue sua leitura

Állison Souza
allison.souza@ostec.com.br