Smartphone e notebook exibindo aplicativos do auxilio emergencial da Caixa Econômica Federal.

Caixa bloqueou 3 milhões de contas do auxílio emergencial por suspeita de fraude

Post disponível em / disponible en / available in: Português

Tempo de leitura: 2 minutos

Na semana passada, cerca de 3 milhões de pessoas tiveram suas contas da poupança social digital da Caixa Econômica Federal bloqueadas por suspeita de fraude. As contas são usadas exclusivamente para pagamento do auxílio emergencial, dinheiro que o governo liberou para ajudar pessoas durante a pandemia do coronavírus.

Os usuários que tiveram suas contas bloqueadas devem se apresentar em uma agência da caixa, portando documento de identidade para poder regularizar o cadastro.

Segundo Pedro Guimarães, presidente da Caixa, cerca de 5% dos 65,2 milhões de contas foram bloqueadas. O que dá aproximadamente 3,26 milhões.

Guimarães passou essa informação durante o evento do Infomoney, onde afirmou que parte das contas foi aberta por cibercriminosos.

Muitos dos beneficiários não tinham um smartphone para realizar o cadastro para fazer o pedido do auxílio emergencial. Sendo assim, a Caixa permitiu que o mesmo celular fosse usado para cadastrar mais de uma pessoa. Isso permitiu que cibercriminosos se cadastrassem usando o nome de outras pessoas a partir de um único dispositivo.

Guimarães garantiu que, apesar do problema, nenhum beneficiário será penalizado por ter sido hackeado. Ele disse que para ter acesso à conta, basta que a pessoa vá a uma agência da Caixa com um documento em mãos para comprovar que é a pessoa inscrita para receber o auxílio emergencial. Assim, o dinheiro será liberado.

Apesar de tudo parecer simples, Guimarães disse que deve ocorrer uma lentidão no desbloqueio:

“Nosso sistema demora cerca de três minutos nesse processo de liberação, mas temos centenas de pessoas na fila. Então, pode demorar alguns dias, mas os trabalhadores receberão os valores. Com a implementação rápida que tivemos que fazer para distribuir o auxílio emergencial lá no começo, sobraram algumas brechas de segurança”.

“O aplicativo Caixa Tem possui múltiplos mecanismos integrados de segurança, mantendo-se inviolável e seguro. O baixo percentual de fraudes observado deve-se à engenharia social, em que são utilizadas informações, documentos e acesso dos próprios clientes. Assim, recomenda-se utilizar apenas os aplicativos oficiais da Caixa e jamais compartilhar informações pessoais”, esclareceu a Caixa.

Fonte: Infomoney.

Thais Souza
thais.souza@ostec.com.br
No Comments

Post A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.