Migração para nuvem e os benefícios associados a segurança

Post disponível em / disponible en / available in: Português

Tempo de leitura: 6 minutos

Manter a integridade do dado corporativo é um dos principais desafios de analistas de tecnologia de empresas, independentemente do seu porte ou segmento. Isso ocorre, pois o dado corporativo representa um dos principais ativos da empresa, sendo essencial para a continuidade do negócio.

Esta realidade fez com que mecanismos de segurança e backup evoluíssem rapidamente nos últimos anos, em especial aqueles focados em conceitos de nuvem, utilizados por empresas para ampliar princípios de segurança e disponibilidade do dado corporativo e que gradativamente vem substituindo as estruturas proprietárias de servidores alocados nas organizações.

Este movimento é evidenciado na pesquisa desenvolvida pela consultoria Gartner, que indica aumento no número de servidores virtuais. De acordo com a pesquisa o número de servidores virtuais já está ultrapassando os físicos, atingindo a marca de 70% nos próximos anos. Essa é uma tendência natural do mercado que busca mais eficiência, custos menores e, claro, mais segurança, afinal, ao contrário do que se pensava no passado, na maior parte dos casos, a nuvem é um ambiente altamente seguro.

Por este motivo as soluções de segurança voltadas para a nuvem (Cloud Security) vêm crescendo cada vez mais em todo o mundo. Em 2015, um estudo da consultoria Frost & Sullivan, divulgado pelo Estadão, indicou que a computação em nuvem havia crescido 30% no Brasil e movimentado 1,1 bilhão de dólares. No mundo foram quase 160 bilhões de dólares!

Continue a leitura deste blog post e saiba algumas vantagens associadas ao uso de ambientes virtuais, sob o aspecto de segurança, quando comprado com estruturais de datacenters hospedados na própria empresa.

Direto ao ponto! Nuvem é mais segura que datacenter local?

Essa é uma das grandes dúvidas quando uma empresa começa a dar seus primeiros passos em busca de uma maior segurança de seus dados, cogitando migração para a nuvem. Isso é compreensível, afinal tendemos a acreditar que as informações que estão fisicamente próximas, sob nosso domínio, estão sempre mais seguras.

No entanto, quando o assunto é segurança da informação, na maior parte das vezes ambientes em nuvem trazem muito mais eficiência, economia e proteção. Para as informações de uma empresa serem armazenadas em um datacenter local é preciso um alto investimento em equipamentos e equipe, além de uma rigorosa rotina de verificações e backups. Além disso, os elementos armazenados em um datacenter local estão mais propensos a perdas por falha no hardware ou danos por desastres, uma vez que normalmente não contam com recursos de redundância lógica e física, presentes em datacenters comerciais.

Quando os dados estão na nuvem você delega boa parte da gestão do ambiente físico para terceiros, incluindo estrutura de segurança necessária para a proteção do dado corporativo. Serviços em nuvem, normalmente possuem “N” possibilidades de contratação, incluindo formatos com maior flexibilidade e envolvimento do time contratado no processo de manutenção do ambiente. Contudo, normalmente é uma opção cogitada por empresas que possuem elevada maturidade técnica, incluindo conhecimentos especializados em segurança digital.

Neste sentido, vale ressaltar que um dos grandes benefícios da adoção da nuvem está associado a terceirização da responsabilidade sobre a segurança do dado corporativo. Necessariamente, uma empresa terceira, com maiores recursos físicos e técnicos para promover tranquilidade para o contratante e seu time de tecnologia.

As vantagens da Cloud Security

Como já mencionamos, uma das vantagens é justamente ter uma equipe preparada e soluções sempre atualizadas, visto que os provedores de nuvem investem fortemente em seus produtos e em suas equipes para manter a excelência dos serviços oferecidos.

Além disso, estruturas em nuvem podem ser altamente escaláveis, já que a organização não precisa investir em servidores locais, compra de novos equipamentos, espaços maiores e contração e treinamento de funcionários.

Enquanto uma pequena ou média empresa precisaria ter custos iniciais altos para implementar um datacenter interno, a contratação de uma estrutura em nuvem permite mais economia e rápida implantação, sem dificuldades e burocracias. Não é à toa que à medida que cresce o número de startups, com produtos baseados em app’s, também se populariza o conceito de nuvem e aqueles associados a proteção da mesma. Uma startup pode crescer vertiginosamente em pouco tempo e, por isso, precisa contar com serviços que acompanhem este crescimento, sem abrir mão da segurança.

Outra vantagem oferecida por alguns provedores destes serviços são os relatórios de auditoria independentes, que podem ser elaborados por terceiros para comprovar que os processos internos são eficazes no gerenciamento da segurança dentro de suas instalações durante o armazenamento de dados.

Os serviços de cloud security também utilizam práticas reconhecidas e recomendadas pelo mercado, que são garantidas por meio de certificações e requisitos de conformidade. Garantias associadas a disponibilidade do serviço, tempo de atendimento mediante a demandas de suporte e recuperação de desastres são itens acordados entre fornecedores e clientes. Ou seja, especifica nos contratos de serviço todas as regras de privacidade e proteção adotadas, possibilitando também segurança jurídica para o contratante.

Ao adotar uma nuvem e todo o aparato de segurança associado a ela, sua organização consegue obter elevados níveis de proteção, incluindo a realização frequente de testes de segurança. Tal como comentado anteriormente, você também contará com planos de recuperação de desastres bem elaborados que reduzirão os riscos relacionados a danos no equipamento ou falhas físicas, além de se beneficiar com atualizações permanentes das ferramentas de proteção.

Somamos a isso um dado do relatório Threat Report, do Crowd Research Partners, que indica que as principais falhas de segurança que cometem as empresas ocorrem por responsabilidade dos próprios usuários, sendo que apenas 38% das organizações possuem política de segurança com regras e responsabilidades definidas para a proteção dos dados.

Portanto, fica evidente que a migração de estruturas e serviços para nuvem é um caminho que vem sendo percorrido a passos largos. Sendo assim, avalie as características do seu negócio e caso avalie a migração do datacenter corporativo para a nuvem, seja altamente criterioso ao avaliar os aspectos de segurança que são oferecidos pelo fornecedor do serviço.

E lembre-se, em caso de dúvidas, converse com um de nossos especialistas.

Continue sua leitura

ostec
ostec@ostec.com.br