Internet: distração ou um avanço para produtividade?

Post disponível em / disponible en / available in: Português Español English

Tempo de leitura: 5 minutos

O boom da internet modificou, substancialmente, o dia a dia das pessoas e das empresas, facilitando o desenvolvimento de atividades e o acesso à informação. O acesso facilitado à internet, em ambiente de trabalho, juntamente com a infinidade de informações presentes na rede, fomenta discussões sobre os impactos do uso do recurso sobre a produtividade dos colaboradores.

Em meio corporativo, muitas perguntas continuam sem respostas definitivas. Tais como: Usar redes sociais atrapalha a produtividade? Qual é o equilíbrio entre distração, busca de referências, e produtividade? Os pontos de vistas são divergentes, embora exista um consenso: cada empresa deve adotar diretrizes adaptadas a sua realidade de negócio, tornando a internet um catalisador de produtividade, ao invés de uma fonte de distração. Entenda um pouco mais.

O lado científico

Estudo desenvolvido pela Triad mostra que 35,6% dos profissionais afirmam que a rede de computadores, em si, é o que mais desvia o foco do trabalho. Além disso, 27,3% gastam tempo com e-mails e 21,4% navegam pela web, aleatoriamente. Quando questionados sobre a atividade mais utilizada para  matar o trabalho, 40,9% dizem repassar piadas por e-mail, 26,1% trocam links do YouTube com colegas, 20,6% jogam games online e 11,1% veem pornografia.

Estudo realizado pelo Dr. Brent Coker em 2009 relatou que os funcionários que usavam até 20% do seu tempo na internet, para fins pessoais, incluindo redes sociais e outros sites, tinham ganhos de produtividade de 9%, frente aqueles que nunca dispersavam durante o horário de trabalho. Vale ressaltar que trata-se de uma pesquisa realizada por pesquisadores da Universidade de Melbourne na Austrália, levando em conta um grupo específico de pessoas.

Apesar de existirem pontos controversos quanto ao impacto do uso da internet sobre a produtividade, existe também unanimidade. O ponto de convergência é o fato de que se as fugas forem frequentes e descontroladas, certamente trarão prejuízos ao colaborador e ao negócio. Mesmo a pesquisa de Brent Coker, que defende o ganho de desempenho, relata que se o indivíduo investir mais de 20% do seu tempo, em atividades não relacionadas ao trabalho, o mesmo apresenta perda acentuada de produtividade.

Internet vs Produtividade

Fazendo uma analogia as pesquisas apresentadas, é possível levantar três reflexões sobre este assunto.

Autocontrole dos colaboradores

A primeira reflexão está associada a capacidade de colaboradores desenvolverem autocontrole, para utilização consciente da internet. Este é o estado da arte, alcançado por uma fatia muito pequena de pessoas. Descobrir o perfil de uso da internet na empresa é o primeiro desafio dos gestores. Se a maior parte dos colaboradores da empresa possui perfil consciente, sua empresa é realmente privilegiada e você não precisará investir muito tempo na implementação de métodos para manter o foco do seu colaborador nas atividades relevantes para o negócio.

Em contrapartida, caso você tenha dúvida sobre o perfil de uso da internet dos colaboradores, ou tenha certeza que estes aplicam grande parte do seu tempo em atividades improdutivas, é importante a implantação de mecanismos que, primeiramente, auxiliem a dar visão sobre o uso da internet, e também possibilitem personalizar o uso do recurso, de acordo com as necessidades do negócio.

Custo benefício das fugas

Para contextualizar, resgataremos a pesquisa desenvolvida pelo Dr. Brent Coker. É importante ressaltar que não possuímos dados aprofundados da pesquisa, incluindo o modelo que tornou possível mensurar o ganho de 9% na produtividade dos colaboradores.

Instigando a reflexão sobre o assunto, expomos uma observação, muito pertinente, feita por Carlos Barbosa, em um de seus posts no blog Mais tempo. Qual ganho para a empresa que troca 20% de tempo do colaborador, por 9% de ganho de produtividade? Quanto isso representa de ganho/perda para a empresa? Este custo justificaria a liberação da internet de forma irrestrita, no ambiente corporativo?

Pense sobre o assunto, entenda o perfil de uso da internet de seus colaboradores e tome sua posição. Sugestão de ferramenta para mensurar o desperdício gerado pelo mau uso da internet: Calculadora da produtividade.

Sites nocivos ao ambiente de trabalho

Agora vamos tratar de um assunto bastante delicado, que pode trazer problemas muito sérios ao ambiente de trabalho e que muitas vezes não entra nas pautas, quando o foco é produtividade. Fazer uso da internet para fins pessoais, ou como forma de descontração, em hipótese alguma, significa utilizá-la para fins ilegais ou impróprios. Sites com conteúdo adulto, que pregam discriminação de gênero, raça ou religião, ou aqueles que tragam riscos para a segurança da rede corporativa, devem ter o acesso completamente banido.

Outro dado relevante é o respaldo legal, que garante a empresa monitorar o uso da internet em ambiente corporativo. Inclusive, em alguns casos, relatórios de acesso à internet podem ser utilizados como prova para comprovação de desvios de conduta do colaborador, possibilitando o enquadramento no Artigo 482 da CLT.

Os acessos indevidos acontecem com grande frequência e muitas vezes não são identificados. A utilização de soluções de segurança, para dar visibilidade sobre o uso da internet e possibilitar estabelecimento de controles, é o primeiro passo a ser dado por empresas que identificaram, ou buscam a identificação, deste tipo de problema.

Ter visibilidade sobre o uso da internet é cada vez mais estratégico para as organizações, independente do seu porte ou segmento. É muito importante desassociar a personalização do uso da internet, do bloqueio de redes sociais e aplicação de controles restritivos. Personalizar o uso da internet vai muito além do bloqueio ou liberação de sites. Por isso é de grande importância o entendimento das dores, relacionadas ao uso da internet, para estabelecer estruturas personalizadas que proporcionem visibilidade sobre o uso do recurso.

Segurança da informação possui total sinergia com conceitos de produtividade, possibilitando o desenvolvimento de ações proativas incluindo controles para a gestão de acessos, ou simplesmente atuando de maneira pontual, sobre sites nocivos ao negócio, tal como relatado no conteúdo deste blog post.

Como sua empresa trata o acesso à internet? Você personaliza o uso da internet no ambiente de trabalho? Se necessitar de auxílio, converse com nosso especialista, possuímos soluções personalizadas para o seu negócio.

Willian Pandini
willian.pandini@ostec.com.br
1Comment
  • Gabriel Cristian
    Posted at 17:08h, 29 maio Responder

    Cara, eu sempre levo em ponderação o tempo e importância que você da a essas mídias de conhecimento, pode tanto ser um agregador de conteúdo, como estou fazendo agora rs, quanto pode te fazer perder muito tempo. Sempre tento ponderar o tempo que uso para gerenciar minha empresa e para tirar um tempo para me atualizar! Grande abraço e ótimo artigo, difícil achar algo tão completo.

Post A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.