Mão masculina digitando no teclado de um notebook preto. A tela exibe um programa com linguagem de programação.

Saiba quais as diferenças entre crackers e hackers

Post disponível em / disponible en / available in: Português

Tempo de leitura: 4 minutos

Os termos hackers e crackers são bem difundidos no mundo digital, porém, um deles é utilizado de forma equivocada e o outro quase não tem visibilidade.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, quem utiliza seus conhecimentos em tecnologia para coletar informações, descobrir senhas de acesso a redes e quebrar códigos de segurança em benefício próprio, recebem o rótulo de crackers.

Não é raro ver pessoas confundirem os termos e se referirem a eles de forma equivocada.

Também existem casos onde o termo hacker é utilizado, intencionalmente de maneira equivocada, pelo fato de se tratar de um termo mais “legível” para o público leigo. Que é o caso normalmente de veículos de comunicação destinados a grandes massas.

De todo modo, é de grande relevância conhecer as diferenças entre hackers e crackers. Continue a leitura deste conteúdo e utilize sempre que possível os termos de maneira adequada.

O que é um hacker?

Hackers são indivíduos que possuem conhecimentos profundos em tecnologia e fazem uso desse conhecimento de forma positiva.

Eles dedicam seu tempo a conhecer e modificar softwares, hardwares e redes de computadores, buscando por vulnerabilidades para tornar as aplicações cada vez mais seguras.

Portanto, apesar de quase sempre serem taxados como os cibercriminosos por alguns sites e até mesmo a mídia tradicional, os hackers utilizam sua sabedoria de forma benéfica, sem causar danos a outras pessoas e empresas em benefício próprio.

Os hackers são classificados em três subgrupos, de acordo com o formato de atuação, sendo eles: White Hats, Black Hats e Gray Hats.

White Hats

Os White hats (chapéu branco) são os hackers da segurança digital. A grande maioria utiliza suas habilidades em favor de empresas e são 100% éticos em suas ações.

Geralmente ocupam cargos de analistas de sistemas, especialistas em TI, entre outros cargos da área de tecnologia.

Periodicamente os navegadores, aplicativos, softwares e sistemas operacionais lançam pacotes de atualizações para corrigir gaps de segurança.

Esses gaps, normalmente, são descobertos por hackers White hats.

Sendo assim, os White hats são considerados os “benfeitores” do mundo digital.

Black Hats

Os black hats (chapéu preto) são aqueles hackers que burlam sistemas e são especializados em invasões maliciosas de sites, tendo intenções duvidosas.

Eles são malvistos por seus colegas, sendo considerados criminosos, assim como os crakers.

Ou seja, os hackers black hats são também considerados cibercriminosos.

Gray Hats

Gray hats (chapéu cinza) são como os White hats: possuem boas intenções e procuram fazer o bem.

Porém, acabam fazendo uso de ações que podem ser eticamente questionáveis na ânsia de querer ajudar. Por exemplo, eles realizam testes de segurança em uma rede de computadores sem permissão prévia para executar tal ação. O que pode gerar uma série de riscos e inconvenientes.

O que é um cracker?

Em se tratando de crackers, esses sim são os verdadeiros cibercriminosos, pois realizam atividades ilegais.

Eles utilizam seus grandes conhecimentos de maneira desonesta, quebrando (cracking) sistemas de segurança de softwares para ter vantagem financeira.

Foram os próprios hackers que deram o termo cracker aos cibercriminosos no intuito de diferenciar para a mídia e leigos as atividades exercidas por cada um. Isso aconteceu por volta de 1985.

Porém, mesmo depois de tanto tempo, a mídia ainda utiliza o termo hacker de maneira generalista, o que gera grande confusão para o público leigo.

O termo hacker, sem a devida classificação, acaba sendo igualmente aplicado para definir indivíduos mal-intencionados e também aqueles que atuam de maneira idônea, buscam identificar e resolver problemas de segurança nos mais variados tipos de tecnologias.

Lamer

Existe ainda um termo que quase ninguém conhece: lamer.

Esse termo é utilizado para definir pessoas com pouco ou nenhum conhecimento sobre informática e tecnologia, mas utilizam ferramentas desenvolvidos por outros para poderem realizar seus ataques.

Geralmente, esses crackers inexperientes que quase sempre tem pouca idade, desejam demonstrar uma suposta capacidade, competindo por reputação e reconhecimento.

Os lamers demonstram arrogância, pouco conhecimento e sempre tem finalidades maliciosas e oportunistas.

Esses indivíduos podem vir a se tornar hackers ou crackers no futuro, porém, a maioria deles não tem interesse em desenvolver habilidades profundas associadas à tecnologia, apenas em garantir sua fama e lucros pessoais.

Confundir hackers e crackers é algo normal, mas os grupos trabalham de formas diferentes.

É sempre importante lembrar que hackers trabalham para descobrir e corrigir falhas, criar programas de melhoria, enquanto os crackers criam softwares maliciosos e aproveitam-se das vulnerabilidades para benefício próprio.

Portanto, quando você ler alguma notícia ou matéria tratando hacker como cibercriminoso, de maneira generalizada, saiba que provavelmente usaram o termo de forma equivocada.

Agora que você já sabe a diferença entre Hackers e Crackers, compartilhe para que outras pessoas também saibam!

Acompanhe-nos em nossas redes sociais para ficar por dentro de todo nosso conteúdo: Instagram, Facebook, Linkedin, Twitter.

Continue aprimorando seu conhecimento

Thais Souza
thais.souza@ostec.com.br
No Comments

Post A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.